sexta-feira, 10 de agosto de 2007

De A a Z

Monte Abraão em 1900
Estão assim registadas todas as avenidas, ruas, becos e travessas existentes na Freguesia de Monte Abraão. Ao todo 98. Em muitos casos faltam ainda fotografias das ruas, noutras as das placas toponímicas e em outros casos falta a indicação de quem foram estas pessoas que a Freguesia de Monte Abraão quis homenagear. A verdade é que até agora nos deu muito gozo fazer este trabalho em que aprendemos mais um pouco acerca das figuras gradas da História e Cultura da nossa terra. Assim, vamos pegar na máquina fotografica e percorrer mais uma vez Monte Abraão, depois e porque em breve deverá ser publicado o Regulamento definitivo de Toponimia da CMS, solicitaremos autorização para efectuar a consulta do Arquivo Municipal. A quem nos ler e se por ventura tiver alguma informação que possa enriquecer este nosso trabalho e nos quizer enviar muito agradecemos.
Para completar este trabalho e acrecentar mais informação a este blogue, poderão clicar aqui para aceder aos Códigos postais de todas as ruas da nossa Freguesia.

13 comentários:

daniela disse...

que belo trabalho aqui tens!

Susete Evaristo disse...

É verdade Daniela impunha-se que alguem o fizesse. Ainda não está pronto. Conto colocar e falar mais um pouco nos edificios com história e organizações existentes em Monte Abraão.

Iolanda disse...

Parabéns pelo excelente trabalho que está a desenvolver e que não é fácil. Está muito bem feito. Gostaria de a informar que a nova entrada para Monte Abraão, vindo do IC19 que dá acesso à zona industrial de Massamá, ainda é Monte Abraão até exactamente ao local situado por baixo da CREL. Essa Rotunda vai ter o nome de Rotunda de Monte Abraão, exactamente, para não confundir com Massamá, pois ainda há muita gente que pensa que aquele local, tal como a Cidade Desportiva, é Massamá. A César o que é de César!! Neste caso, a Monte Abraão, o que é de Monte Abraão.

Susete Evaristo disse...

Obrigada pela visita e pela informação Iolanda, na verdade ainda tenho muito caminho para a andar, faltam-me exactamente as várias entradas para a Freguesia não só a rotunda de que fala, como da outra na confluência com Queluz, falta-me ainda a ponte pedonal de madeira que faz ligação a o Pendão e outras.

jvn disse...

Cara Susete Evaristo,
parabéns pelo blogue.

Seria muito bom se um dia este trabalho também abranjesse as freguesias de Massamá e Queluz, no fundo, toda a cidade. Existem em Massamá algumas ruas, das mais antigas, cujos nomes tenho a maior curiosidade em conhecer mas que não tenho tido tempo para investigar, nomeadamente a "Rua dos Bem Casados". Enfim, talvez qualquer dia consiga fazê-lo ou eventualmente... a Susete :-).

Abraço

Jorge
(Massamá, cidade aberta)

jvn disse...

desculpe "abrangesse" claro. As pressas...

Susete Evaristo disse...

Caro JVN, e porque não? Com o tempo podemos lá chegar, com o tempo e com ajuda dos amigos internautas, em jeito de parceria. Vamos amadurecer a ideia que até me parece aliciante.

Luís Rijo disse...

Bom trabalho aqui realizado.

Foi sugerido Massamá, eu sugeria a Cidade de Queluz inteira.

Para o envio de fotos poderia disponibilizar um mail pois não encontrei nenhum....

Já agora, concordo com o que escreveu sobre Serpa.

Cumprimentos

Susete Evaristo disse...

Caro Luis, obrigada pelas suas amáveis palavras que para mim são de grande insentivo. Queluz a cidade que me acolhe há já trinta e quatro anos bem que me merece um trabalho (embora cheio de amadorismo) semelhante ao que fiz sobre Monte Abraão. Tal como disse ao comentador JVN, com a ajuda dos amigos internautas podemos pensar no assunto quem sabe até em parceria. Queluz, Massamá e Monte Abraão.

amigona avó e a neta princesa disse...

Susete acho que tens aqui um trabalho muito bom, não sei é se é conhecido. Pelos vistos agora estás a receber desafios para outros voos mais largos...continua amiga...está excelente!

Bic Laranja disse...

Parabéns pelo inventário. Cumpts.

Outonodesconhecido disse...

Apesar do atraso vim retribuir a visita.
http://jasmimdomeuquintal.blogspot.com/ e outonodesconhecido

Eu sou a concha das praias
Que anda batida da onda
E, de vaga em outra vaga,
Não tem aonde se esconda.
Mas se um menino, da areia
A colher e a for guardar
No seio... ali adormece
E é ali seu descansar.
Pois sou a concha da praia
Que anda batida da onda...
Sê tu esse seio infante,
Aonde a triste se esconda!

Eu sou quem vaga perdido,
Sob o sol, com passo incerto,
Contando por suas dores
As areias do deserto.
Mas se um palmar, no horizonte,
Se vê, súbito, surgir,
Tem ali a tenda e a fonte
E é ali o seu dormir.
Pois sou quem vaga perdido,
Sob o sol, com passo incerto...
Sê tu sombra de palmeira,
Sê-me tenda no deserto!

Sou o peito sequioso
E o viúvo coração,
Que em vão chama, em vão procura
Outro peito, seu irmão.
Mas se avista, um dia, a alma
Por quem andou a chamar,
Tem ali ninho e ventura
E é ali o seu amar.
Pois sou quem anda chorando
À procura dum irmão...
Sê tu a alma que me fale,
Inda uma hora ao coração!
Antero de Quental

Método DeRose - Yôga disse...

Parabéns pela publicação